You are here: Homecard Desenvolvimento Web Notícias

Vulnerabilidade afeta todas as versões do navegador e já está explorada em ataques contra IE8 e IE9. Microsoft não disse quando patch será liberado.

A Microsoft anunciou nesta terça-feira, 17/9, que hackers estão explorando uma vulnerabilidade crítica e ainda não solucionada do Internet Explorer 8 e 9, e que seus engenheiros estão trabalhando em uma atualização para resolver isso.

“Existem apenas alguns relatos de um números limitados de ataques direcionados especificamente para o Internet Explorer 8 e 9, apesar de o problema poder afetar potencialmente todas as versões suportadas”, afirmou um gerente da empresa Trustworthy Computing e porta-voz costumeiro, Dustin Childs, em um post sobre o assunto.

“Estamos ativamente trabalhando para desenvolver uma atualização de segurança para resolver esse problema”, afirma Childs.

Segundo Childs e o aviso de segurança publicado pela Microsoft, a vulnerabilidade afeta todas as versões suportadas do IE, incluindo a antiga IE6 até a ainda não lançada oficialmente IE11, que chegará juntamente com o Windows 8.1 em 18 de outubro.

“Não há como escapar dessa”, diz o diretor de DevOps da empresa de segurança na nuvem Cloud Passage, Andrew Storms, em referência ao bug que afeta todas as versões do browser. “Dias zero do IE nunca são uma coisa boa, especialmente quando eles afetam todas as versões.”

Apesar de o aviso da Microsoft não colocar nesses termos, a vulnerabilidade pode ser explorada usando táticas de ataque “drive by”. Isso significa que os hackers só precisam fazer com que as vítimas rodem sites maliciosos no IE – ou sites legítimos que tenham sido comprometidos anteriormente e carregados com código de ataque – para sequestrar o browser e colocar malware nos seus computadores.

Até que libere um patch, a Microsoft oferece aos usuários diversas opções para se protegerem, incluindo conselhos sobre como configurar EMET 4.0 e rodar uma das suas ferramentas automatizadas “Fixit”, mais indicada para usuários comuns.

Os usuários também podem trocar o navegador por uma opção alternativa, como o Google Chrome ou o Mozilla Firefox, até que a Microsoft libere uma correção permanente.


Os correios estão trabalhando para desenvolver um e-mail gratuito criptografado para a populaço para evitar espionagem de conteúdo.

Ministro das Comunicações quer e-mail nacional contra espionagem, Paulo Bernardo solicitou aos Correios um sistema nacional de mensagens, depois de denúncias de que e-mails da prsidente Dilma teriam sido espionadas pelos Estados Unidos.

Genildo Lins, secretário executivo do Ministério das Comunicações, disse que a remuneração da empresa poderia ser feita por meio da venda de anúncios na página.

“É uma grande oportunidade de negócios do ponto de vista dos Correios. Os Correios do mundo hoje não vivem só de cartas, tem que encontrar novas formas de se sustentar”, disse Lins.

A ideia surgiu durante o desenvolvimento de um projeto de certificação digital de mensagens, que está sendo feito pelos Correios para oferecer a empresas e pessoas físicas, mediante pagamento.

Lins disse que, apesar de o sistema ter começado a ser estudado antes das denúncias de espionagem de mensagens de brasileiros pelo governo dos Estados Unidos, as notícias recentes podem acelerar o projeto.

Ele não estimou um prazo para o sistema de e-mail estar concluído, que vai depender das condições de mercado e da expectativa de receita dos Correios.

Durante entrevista coletiva, na tarde de hoje, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reforçou a necessidade de o país ter um servidor de raiz para evitar o problema de espionagem.

As vendas movimentaram cerca de R$ 51 bilhões em 2011.

O país está bem à frente dos outros países pesquisados.

Os brasileiros gostam cada vez mais da ideia de ir às compras sem sair de casa. As vendas online no país cresceram 43% no ano passado, em relação a 2010. Movimentaram US$ 25 bilhões, cerca de R$ 51 bilhões, mais da metade do total da América Latina. O Brasil está bem à frente dos outros países pesquisados.

O sucesso do comércio eletrônico pode ser explicado por três fatores: há mais segurança para se fazer compras pela internet, aumentaram as facilidades para realização de pagamentos eletrônicos e também aumentou a oferta de sites que permitem compras coletivas.

“Os usuários são medidos em milhões e a quantia de dinheiro em torno da internet é em bilhão de dólares. (...) São medidas que as empresas não podem deixar de considerar pra suas estratégias de entrar online”, fala o consultor de e-commerce, Miguel Gouveia.

A empresária Joana Lóes deixou de vender bijuterias numa loja de rua, e investiu só no negócio virtual. Em menos de um ano, aumentou as vendas em 20%. “Na loja física eu dependia de alguém passar na loja, conhecer e tal. Estou buscando os clientes na internet, e eles estão em todo lugar, no Brasil inteiro, mundo inteiro, isso realmente mudou completamente para melhor. Um resultado muito legal”.

Oportunidades de emprego

A popularização do e-commerce abre uma série de oportunidades de emprego no Brasil. Depois de conquistar um público de clientes cativos, muitos empreendedores do mercado digital iniciam as contratações para aumentar seu volume de vendas.

Atividades como responder e-mails de clientes, despachar os produtos pelos Correios, criar de anúncios virtuais e postar mensagens de divulgação em redes sociais como Twitter e Facebook estão entre as novas opções de emprego geradas pelo e-commerce.

Apresentamos o mais novo projeto do Google que basicamente é um óculos conectado a internet que se utiliza da tecnologia futurista de realidade Aumentada.

O Projeto Google Glass (óculos do Google) ainda está em fase de testes.


O Óculos é um dispositivo semelhante a um óculos que fixado em um dos olhos disponibiliza uma pequena tela logo acima do campo de visão. A pequena tela apresenta a seu utilizador  mapas, opções de música, previsão do tempo, rotas de mapas, além disso, também é possível efetuar chamadas de vídeo ou tirar fotos de algo que você esteja visualizando e compartilhar imediatamente através da internet.

O Projeto vem sendo mantido pelo escritório do Google X e até o dia 4 de abril de 2012 o Google Glass ainda era um projeto secreto do Google. Atualmente o Google X conta com o apoio de especialistas em alta tecnologia como Richard W. DeVaul e Babak Parviz.

O visual do Óculos do Google parece sofisticado e futurista mas não possui lente dos dois lados. Sabe-se que o Google tem fornecido os protótipos a seus colaboradores afim de poder lançar o produto ainda no ano de 2012.

O lente de projeção do Google Glass não ocupa todo o campo de visão do usuário e possui uma tecnologia de foco que permite ao observador ler seu conteúdo sem a necessidade de mudar seu foco de visão, todos esses cuidados garantem o conforto e a segurança da pessoa que utiliza a tecnologia.


No vídeo do Google Glass, disponível no Youtube como nome de Project Glass – One Day você pode ter uma ideia de como seria utilizar essa tecnologia que promete se tornar quem sabe talvez o substituto do celular convencional.

GVT investe R$ 22 milhões em Juiz de Fora

Empresa anuncia que serão criados 200 empregos diretos e indiretos e vai oferecer 25 mil acessos

Com investimento de R$ 22 milhões e perspectiva de criação de 200 empregos diretos e indiretos, a operadora de telecomunicações GVT chega à Juiz de Fora. Ontem, o gerente de Relações Institucionais, Boris Przechacki, e o diretor de Implantação, Egilson Silveira estiveram na cidade para anunciar ao prefeito Bruno Siqueira (PMDB) o lançamento oficial do projeto. O início das operações comerciais, com a venda de assinaturas, está previsto para final de fevereiro.

Conforme o coordenador de projetos da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, André Zuchi, a GVT já atua na cidade há quase um ano, na construção da sede e na preparação da infraestrutura para oferecer os serviços de telefonia fixa, internet banda larga e TV por assinatura. Nesta primeira etapa, a oferta do serviço estará concentrada no Centro e na Zona Sul, com a perspectiva de contratação de 25 mil acessos. "Vamos oferecer serviço de alta qualidade com preços muito competitivos. A tendência é de ampliação nos investimentos e de contratações", disse Boris Przechacki à assessoria de imprensa da PJF.

Para Zuchi, o investimento representa aumento da concorrência do setor em Juiz de Fora, resultando em melhoria da qualidade do serviço e redução de custos. O secretário destaca que o empreendimento possibilita a melhoria da qualidade dos serviços prestados neste setor, com preços mais competitivos, e também sua importância para o desenvolvimento local em termos de avanços na infraestrutura em telecomunicações. "A cidade ganha e se torna mais competitiva, ajudando a atrair novos negócios."

A empresa

Atuando comercialmente desde novembro de 2000, a GVT atende o mercado doméstico, de pequenas e médias empresas e o corporativo. Está presente em mais de 130 cidades do país, entre elas Belo Horizonte, Contagem, Betim e Governador Valadares. A empresa promete oferecer banda larga de ultravelocidades (de 5Mbps a 100Mbps) em toda a área de atuação. É uma empresa do grupo francês Vivendi, líder mundial em comunicação e entretenimento.